Arquivo do mês: outubro 2008

Woody Allen Almodovariano

Quem pôde assistir ao filme de estréia do 10º Festival Internacional de Cinema de Brasília ontem pôde se deliciar com uma versão castelhana de Woody Allen com o filme Vick Christina Barcelona.

A história de duas amigas (Scarlett Johansson e Rebecca Hall) que vão passar férias na capitalespanhola é regada a relacionamentos inusitados, triângulos amorosos (mais cíclico que triangular), traição, casamentos de conveniência e a eterna busca pela vida ideal.

Javier Bardem, o assassino de cabelo horrível de “Onde os fracos não têm vez”, interpreta um charmoso artista plástico que vive os desejos de forma incondicional. Ele foi casado durante anos com a personagem de Penélope Cruz, uma mulher esquizofrênica que vive à beira da loucura.

O mais admirável é o respeito aos sentimentos e a forma como eles são abordados no filme. Por mais complexos que possam ser, há honestidade em todo o tempo. Talvez por isso a história seja tão original. Os sentimentos estão acima dos personagens.

Além da história pitoresca, a fotografia é linda e laranja, o que lembra muitas vezes os filmes de Almodóvar. A trilha sonora é regada a Paco de Lucia com performances de guitarra espanhola em alguns momentos.

E ao fim, uma revelação: Penélope Cruz sabe ser cômica. A quantidade de sorrisos que se espalham pela sala quando sua personagem está em cena é insana.

Woody Allen é sempre bom.

Anúncios